Archive for » July, 2010 «

Friday, July 16th, 2010 | Author:

A melhor lição, é o exemplo.

 

Dentre os momentos que vivi nas vidas que eu vivi nesta vida, gostaria de trazer a voces um momento muito importante, não sòmente para mim,  como pai, mas também para meu filho mais velho, que aos 13 anos, praticante de natação no time da escola em que frequentava (Lincoln Highschool em Brooklyn, N.Y.) durante um acampamento em highpoint, upstate New York, onde o Rio delawer divide o Estado de New York e New Jersey,  me convidou, mais dizendo desafiou,  para juntos atravessarmos o rio nadando.

Eu disse para ele: Aqui o Rio é muito largo e  a correnteza bem forte, porque não subimos rio acima e iniciamos nossa travessia lá?!

Ele, porém, como todo jovem que pensa, saber tudo, disse: Que nada pai!…, vamos começar aqui mesmo. Embora sabendo que existia uma cachoeira mais abaixo, concordei e mergulhamos. A travessia ia indo muito bem até que alcançamos a correnteza que começou a arrastar-nos, tornando dificultoso alcançar o outro lado.

Em um determinado momento, ele disse: Pai!.. acho que não vou conseguir, me ajude!… Eu comecei a nadar de costas esticando minha mão para que ele pudesse alcançar-me, porém, sempre que ele chegava perto de mim, eu  acelerava minhas braçadas e com isso, ele, no desespero, querendo alcançar-me, também colocava mais vigor nas braçadas, sempre querendo alcançar meus braços para a ajuda que me pediu.

Despois de muito esforço, ele, sempre tentando alcançar-me, chegamos ao outro lado.

Aí sim começou a esboçar seus sentimentos frustados, chorando e reclamando, dizendo que eu não o ajudara, que eu não gostava dele e não tentei salvá-lo.

Ai então, sem estar ofengante como ele, perguntei: Em algum momento estive longe de voce?  Ele não respondeu!… Voltei a perguntar: Em algum momento eu estive longe de voce?

Finalmente depois de uma reflexão, respondeu: NÃO!…  Foi um  “NÃO” Cheio de esclamações, interrogações e sentimentos feridos.

Complementei então: Eu foi jogador de “waterpolo”, eu sei manter-me em cima d’água por muito tempo e nado muito bem;  amo voce e jamais permitiria nada acontecer a voce!…

Mas quis mostrar-lhe que voce não precisou de minha ajuda, que voce é capaz, porque voce alcançou o outro lado do rio sòzinho.

Abracei-o e juntos choramos. Choramos, Ele por haver descoberto que era mais capaz do que imaginava e que eu realmente o amava. E eu por minha vez, chorei a vitoria de ser um Pai, Um pai que agradecia a Deus pela oportunidade de poder haver dado um grande exemplo ao filho. Ao filho que hoje ocupa uma posição de destaque na Marinha americana e que já esteve na guerra do Iraque duas vez e um ano no afaganistão defendendo os interesses de seu Paiz pela paz.

Sim, defendendo pela paz, porque para aqueles que não sabem; “O propósito da guerra é a Paz”.

 

Jimmy Albuquerque