Archive for » May, 2010 «

Saturday, May 29th, 2010 | Author:

Embora a felicidade não seja constante,

o importante é poder dizer todos os dias:

Hoje eu serei feliz.  

Não permitirei a ninguém tomar

esta minha posição na vida.

Porque assim, faremos com que ela,

faça-se presente, com mais intensidade e com

menos intervalo de tempo.

 

 

 

 

 

 

Thursday, May 06th, 2010 | Author:

E PENSAR, QUE UMA PESSOA QUE CHEGUEI A ODIAR

FOI QUEM ME ENSINOU UMA DAS MELHORES LIÇÕES NA VIDA.

 

Os momentos que vivi nas vidas que eu vivi nesta vida, foram muito educativos para mim.

Após haver saído do Saleziano, escola para padres, arranjei um emprego na Ultralar, empresa irmã da Ultragás e minha vida começava a tomar uma nova direção. Embora o salário fosse relativamente bom para minha idade de 17 anos, as dificuldades eram grandes e na época, minha mãe estava doente,  minha irmã trabalhando em casa como manicure com um filho pequeno e o marido desempregado. Tudo estava muito difícil e meu salário como disse antes, embora fosse bom, não dava para sustentar todo mundo e, fui, cada dia mais, afundando em dívidas. Em um  mês que as coisas ficaram piores, pedi um adiantamento de salário que foi-me concedido no dia 15 do mesmo periodo. Porém, quando veio o check do salário daquele mês, veio com o desconto do adiantamento eu pedira, mais as deduções das compras que eu havia efetuado no armazem da empresa, e o que recebi não dava nem para pagar as passagens para  ir trabalhar. Quando a secretária do gerente comercial meu “BOSS”,  entregou-me o check de pagamento, viu pela expressão do meu rosto que os valores constantes do check, não me fizeram muito feliz e perguntou-me se eu gostaria que ela falasse com nosso “chefe” sobre o assunto; Talvez ele pudesse  ajudar-me de alguma forma. Perguntei como ele poderia ajudar-me e ela disse que de repente ele poderia emprestar-me um “dinheirinho” para que eu pudesse sobreviver aquele mês. Concordei e, quando fui chamado por ele, em sua sala, eu não sabia como proceder.  Entrei com vergonha e principalmente com medo de receber um não.

Ele pediu que eu sentasse e adiantou-se dizendo que sabia de minha situação e me emprestaria o dinheiro, porém queria saber quando é que eu pagaria de volta. Como ele foi direto resolvi ser também direto e sem pensar muito, disse que pagaria quando recebesse o salário do mes seguinte.  Ele fez o cheque, agradeci e saí para ir ao banco sacar aquele dinheiro que iria me ajudar no decorrer do periodo.

Os problemas aumentaram e tive que pedir outro adiantamento no meio do mes e consequentemente, no dia do pagamento, quando recebi o cheque referente ao salario, vi que com tantas deduções, se eu pagasse ao chefe o dinheiro que ele havia me emprestado, não sobraria nada para passar o mês.

 

Resolvi então, pedir a ele que esperasse até dia 15 que eu iria pedir  outro adiantamento e o pagaria. Porém, o mundo caiu, quando entrei em sua sale e falei sobre a possibilidade de ele esperar até o dia quinze, quando eu receberia o adiantamento.  Ele foi taxativo dizendo: Voce disse que me pagaria hoje  e eu quero receber hoje.

Aquilo foi uma pedrada na testa. Meu instinto carnivoro, animalesco estava quase a ser solto e partir para um ataque físico e acabar com ele. O odiei, com toda força de meu coração. Fiz o cheque e entreguei a ele, que muito cordialmente agradeceu.

Saí da sale como um foguete recém aceso. Minhas orelhas queimavam de tanta raiva. Como é que uma pessoas que parecia entender os problemas dos outros, como foi quando ele me emprestou o dinheiro, pudesse agora, com tanta rudeza cobrar-me daquela forma, sem ao menos levar em conta minha situação!…

Quando sentei-me à mesa de trabalho, estava destruído. Destruído na vida,  no trabalho, nas amizades, nas finanças, em fim, em tudo, ainda mais tendo que trabalhar para aquele desumano.

Alguns momentos após haver sentado à mesa, a secretária veio falar comigo dizendo que o “chefe”!… queria falar comigo. Ele seria a última pessoa do mundo com quem eu gotaria de falar. Mas como não tinha jeito, entrei em seu gabinete  para ver o que ele iria, agora, arremessar contra mim.

Ele mandou que eu me sentasse a começou falando: Sabe!… Voce é um ótimo pagador. Quando pegou o dinheiro emprestado comigo, disse que pagaria hoje e pagou!.. Parabéns. Aquilo foi mais uma de suas ofensas, assim pensei. Porem continuou  falando: Como voce é um bom pagador.  Voce tem crédito comigo e se precisar de mais dinheiro emprestado, pode pedir que eu empresto.

Com um ímpeto de raiva, agradecí dizendo: Não senhor, não preciso de nada!… e antes que ele pudesse dizer algo mais ofendente ao meu ego, saí  da sala.

Ele chamou a secretária e pediu minha presença outra vez. Eu estava, por conta da vida e nada que ele fosse dizer-me mudaria o ódio que eu estava sentindo por ele.  Quando entrei pediu que eu me sentasse o que recusei de imediato, Ele com firmeza em sua voz sempre muito autoritária, disse: Sente-se!.., foi um sente-se com todos os acentos, exclamações e reticencias sem nenhuma interrogação.

Pronto, lá estava eu sentado de frente para o carrasco que agora, com certeza, iria tirar minha pele e com certeza já estaria enviando-me ao departamento pessoal para pegar meu aviso prévio.  É, eu estava com certeza, sendo demitido.

Ele começou atacando minha idade, dizendo: Voce tem 17 anos quase 18 e está começando sua vida agora e, eu quero lhe dizer, que a responsabilidade e cumprimento da palavra é a coisa mais importante para que a pessoa seja íntegra e assim terá que ser sua vida, para que voce seja bem sucedido; Porque as pessoas acreditam naqueles que são responsáveis e mantém sua integridade, independente da situação em que esteja.

Vou lhe ajudar a colocar sua vida em dia. Vamos fazer um levantamento de suas despesas mensais para ver de quanto voce necessita para que sua vida fique mais facil e  voce não venha a se descontrolar mais. Eu não sabia o que falar. Do ódio passou à interrogação e depois veio à calma. Fui falando sobre tudo que eu gastava por mes e ele foi anotando. No final ele disse: Voce precisa de CR$250.00 cruzeiros para acertar sua vida. (eu ganhava CR$140.00 por mes) Posso emprestar, com a condição de voce dizer-me quando é que poderá pagar-me de volta esse empréstimo. Falei com a vóz meio engasgada, que não sabia determinar quando eu poderia pagar o emprestimo. Ele mais uma vez, tomou a iniciativa e disse, para minha surpresa,  que esperaria um ano para receber de volta o dinheiro e não falou em juros. Aceitei assinando uma nota promissória, falando mais com  afirmação do movimento de cabeça do que com palavras.

Minha vida tomou um outro rumo, com mais administração financeira e tranquilidade. Aproximadamente 8 meses depois saí da empresa e fui trabalhar na Varig empresa de aviação, que oferecia um salário muito bom para a posição que eu ocuparia na contabilidade da empresa.

Passado o tempo, a data que eu deveria pagar de volta o emprestimo chegou, e  devido a inflação galopante da época, o que eu agora ganhava, dava facilmente para pagar o empréstimo. Quando cheguei  à empresa para fazer-lhe o pagamento do empréstimo, fui surpreendido pela notícia de que ele havia falecido. No momento seguinte veio o pensamento: Não preciso mais pagar a dívida!… Não obstante, junto com a notícia de sua morte, veio atravéz da ex-secretária a informação de que a esposa do falecido havia perguntado por mim. Pedi o endereço dela e fui a sua casa pagar-lhe porque com certeza estava necessitada do dinheiro, por isso havia perguntado por mim.

Quando lá cheguei, apresentei-me e, ela com muita amabilidade, pediu-me para entrar e após haver-me oferecido um cafézinho, que aceitei de bom gosto, disse-me:

Damian, meu marido,  falou-me sobre voce e sobre o dinheiro que ele havia lhe emprestado e disse-me que se você não viesse pagar o empréstimo, que eu usasse dos recusrsos da lei para cobrar de você, mas se você viesse pagar, que eu deveria dizer a você, que o pagamento foi sua intenção de cumprir com sua palavra e que eu não aceitasse o dinheiro.

Meus olhos se encheram de uma água quente a ácida que não consegui reter e rolaram pela minha face. É!.. eu chorei!… Ela abraçou-me  dizendo: Continue assim, porque foi assim que Damian gostaria que você fosse.

Meus agradecimentos Senhor Damian Sunner Sampol, pela primeira lição prática de vida, que recebi em uma das vidas que eu vivi nesta vida.

 

    Jimmy Albuquerque